domingo, 25 de setembro de 2016

Encontro Nacional USkP no Porto / 2

No sábado, terminados os desenhos pelas 17:30 h, houve lugar a uma amável prova de vinhos do Porto, nas margens de Gaia sobre o Douro, mais uma cortesia da editora Ponto M. Daí seguimos para o auditório da Porto Calém, onde iriam ter lugar 2 palestras.

A primeira foi do Tiago Cruz com o título "O Nós e os Cadernos: o diário em "diário gráfico"" onde reflecte sobre "Quando espreitamos o interior de um diário, alguma coisa acontece. Para quem vê e para quem é visto. Onde está, ou onde estava, o 'diário' nos nossos diários gráficos? O que é que lhe acontece, ou aconteceu, num processo de transição entre a esfera privada e a esfera pública? Nesta comunicação proponho uma reflexão sobre a natureza deste objecto e sobre um discurso semiótico que sublinha a privacidade e intimidade enquanto elementos subliminares deste artefacto comunicativo que aprendeu a habitar no espaço público." (nas palavras da sua sinopse).


A segunda palestra ficou entregue ao João Paulo Delgado com o título "A Porta é o Caminho - evolução da forma urbana do Porto", onde "quer fornecer uma chave para a compreensão do Porto", ou seja "por outras palavras, pretende oferecer uma síntese integradora do crescimento da forma da cidade, de modo a complementar a visão sincrética que os sketchers adquiriram ou venham a adquirir, através dos desenhos que executaram ou venham a executar. A apresentação apoia-se no grande manancial de representações gráficas do Porto, realizados por vários visitantes ao longo do tempo." (palavras da sua sinopse).


O 2º dia do encontro "Vamos Desenhar o Porto", no domingo, juntou todos os sketchers no mesmo percurso. Iniciado na praça fronteira à estação de metro da Trindade, fiquei logo por ali a registar o edifício do Arq. Souto de Moura e, a reboque, o edifício do Jornal de Notícias.


A seguir, descendo em direcção ao Jardim do Infante, onde seria servido o almoço oferecido de novo pela editora Ponto M, fiquei-me por uma das simpáticas cadeiras na Av. dos Aliados. Optei por registar a fonte/espelho de água da recente intervenção dos arquitectos Siza Vieira e Souto de Mouro, onde existe uma instalação efémera, uma semi-cúpula com garrafas de plástico que alojam no seu interior sardinhas coloridas.


A seguir ao almoço, os sketchers dispersaram-se, regressando às suas residências, muitos, como eu, apanhando o comboio para voltar a Lisboa ou outros destinos.
Levei comigo a memória de um grande encontro, numa cidade lindíssima e com tantos novos conhecimentos entre os sketchers.

Encontro Nacional USkP no Porto / 1

Aqui estão os meus desenhos do encontro do fim de semana passado "Vamos Desenhar o Porto".

Não posso deixar de referir que, quando começámos a pensar na Associação que o encontro teria que ser "em grande", não imaginávamos o sucesso que foi. E é de inteira justiça atribuir a grande cota parte disso à organização conjunta com os Urban Sketchers Norte, mais precisamente ao empenho infinito do incansável Pedro Alegria (Tuba From), e igualmente à entrega da editora Ponto M (Manuel Reis e Clara Palma) e todo o apoio que deram. Vai ser um livro do Porto e pêras!

Dos 2 percursos definidos para sábado eu fiquei no B, que começava na fonte dos Leões (Praça de Gomes Teixeira), onde fiquei fascinado com o painel imenso de azulejos da Igreja do Carmo. O ângulo não ajuda, mas entre as 2 igrejas existe uma casa, que foi construída porque não são permitidas 2 igrejas encostadas.


De seguida, passei a livraria Lello encoberta por centenas de turistas, consegui resistir aos Clérigos e desci a Rua de São Bento da Vitória até ao final, onde encontrei um poial à sombra, ideal para desenhar a Igreja da Vitória. Ainda pensei que "apanhava" Gaia mas comecei a igreja por cima e não sobrou espaço.


Assim, antes do almoço no Jardim do Infante e "a correr" porque faltavam 15 minutos para a hora combinada, consegui apanhar uma parte do panorama imenso que se tem do miradouro na Bataria da Vitória - onde esteve a bateria militar que se opôs aos Miguelistas localizados na Serra do Pilar.


Da parte da tarde, depois do amável almoço oferecido pela Ponto M e do sempre revigorante convívio entre sketchers, enquanto o percurso A se demorou pela Ribeira, a malta do B passou para Gaia, onde me sentei à beira do Douro, mesmo a jeito para apanhar a Ponte D. Luís I e o que soube mais tarde na palestra do João Paulo Delgado serem os pilares norte da antiga Ponte Pênsil".


No mesmo local, bastou-me virar a cabeça para a esquerda e captar o inevitável postal: os rabelos, as margens do Douro. O Porto é lindo!



domingo, 4 de setembro de 2016

Simpósio USk Manchester 2016_Dia 1

Aqui vai o meu 2º post sobre o Simpósio USk Manchester 2016 que pus no blog dos Urban Sketchers. Os outros estão AQUI.
Transcrevendo:

Simpósio USk Manchester 2016_ Dia 1 - 27 de Julho
Hoje já foi a sério! Ou quase. Ainda não foi dia de workshops, actividades ou "lectures", mas foi dia de check-in de todos no Simpósio.
Assim logo pela manhã, dirigimo-nos ao coração do Simpósio, o edifício Benzie no campus da Manchester Metropolitan University, onde funciona a Manchester School of Arts. Para mim, como estreante nestas andanças, foi o confronto com tantas figuras que nos habituámos a seguir nos seus posts, que celebravam entre elas (Nelson e Vicente incluídos) o seu reencontro desde o último simpósio. Mas a afabilidade habitual sketcher esteve sempre presente, quando os novos eram apresentados e mesmo quando iniciámos conversa.
Para fixar esta primeira aproximação ao Simpósio, escolhi sair do edifício e surpreender-me logo ao lado com um pequeno casebre antigo, que, parecia teimosamente querer manter-se incólume no meio de tantos imponentes edifícios modernos. Trata-se do pub "The Salutation" que vim a saber mais tarde ser um dos dois sobreviventes em Manchester da década de 1840, Recuperado impecavelmente há cerca de 5 anos, está entregue à Students Union, a maior associação de estudantes do Reino Unido.


A seguir ao registo de todos os instrutores, formadores, correspondentes, etc., seguiu-se uma apresentação do evento pela organização a estes sketchers, através da Simone Ridyard, a organizadora chefe local, da Elizabeth Alley, a presidente dos USk e da Fernanda Vaz de Campos, de São Paulo.


No final, depois de tantas emoções novas (para mim), fomos reabastecer energias almoçando na cervejaria "The Lass O´Gowerie", com um sketcher argentino, o Silvio Menendez.


No regresso à base, descobrimos uma animação imensa no Benzie Building de novos sketchers, os restantes participantes que se iam registar no simpósio. Dificil era resistir aos materiais de desenho e livros de urban sketching na zona das bancas das marcas "sponsors" do Simpósio.


A tarde iria terminar na Town Hall, o edifício da Câmara Municipal, onde era dada uma recepção a todos os sketchers. Fascinante a sua traça, tão britânica, quer no exterior quer no interior, e que sem custo nos remetia de imediato para Hogwarts, a escola do Harry Potter.


Aqui com facilidade abordavas ou eras abordado por outros sketchers, numa saudável curiosidade de sabermos quem éramos, de onde vínhamos e o que o copo na mão ajudava a perguntar. A meio das conversas animadas, houve tempo de discursos institucionais, mas sempre com o humor presente, e muitos desenhos do momento à mistura.
Ah, e ainda com música de um quarteto de cordas que tentou a custo fazer-se ouvir no meio do bruá das conversas (mas sem grande sucesso). O Pedro, o Nelson e o Vicente não resistiram a registar os encantos femininos das instrumentistas.


O dia terminou com um jantar na esplanada da "Thomas´s Chop House", que juntou 24 sketchers; muitos deles só aguentaram os talvez 12 graus da noite com os cobertores polar do restaurante. Além das conversas multilingue, foi tempo dos habituais desenhos e trocas de cadernos.




sábado, 3 de setembro de 2016

Simpósio USk Manchester 2016_Dia 0

Só hoje, regressado de férias, consigo arranjar tempo para deixar aqui no meu blog os posts do Simpósio USk Manchester 2016, que fui fazendo como correspondente para o blog dos Urban Sketchers Portugal. A um ritmo alucinante, entre desenhos, convívio e publicações às 3 da madrugada, enquanto o corpo aguentou e o sono não venceu. Os últimos já só consegui publicar aqui em Portugal.
Passo então a transcrever o que publiquei:

Simpósio USk Manchester 2016_Dia 0(26 de Julho) 
Hoje foi o dia de engrossar o contigente português ao 7º Simpósio USk em Manchester. Para se juntarem ao ponta-de-lança Pedro Loureiro, desde sábado a pisar solo britânico, seguiram do aeroporto da capital portuguesa os sketchers Nelson Paciência, Vicente Sardinha, Rosário Félix, Helena Monteiro, Maria Celeste e Maria José, além do autor destas linhas.

Chegados a Manchester, e depois de depositados os haveres de cada um nos respectivos alojamentos, a secção masculina foi estabelecer contacto com alguns sketchers internacionais, que se entretinham a apreciar as bebidas locais, vulgo "beer".


Antes da noite chegar, os nossos homens cederam às necessidades corporais e abandonaram o referido convívio à procura de mantimentos. Uma casa tradicional manchesteriana (ou seja, com música a bumbar alto por 2 senhoras dj´S) forneceu as doses necessárias de carne picada num misto típico local: burger+beer.

Amanhã, quarta-feira, dar-se-á início ao evento com o registo dos participantes e cerimónia de recepção na Town Hall (trad.: autarquia local).

domingo, 24 de julho de 2016

Fim de semana em Marvão e Beirã - 2 de 2

Domingo comecei cedo a fazer o desenho que pretendo levar para o leilão do Simpósio Urban Sketcher em Manchester, registando a fabulosa sala de estar (e pequenos-almoços) do Train Spot, na Beirã, onde ficámos alojados.


A seguir ao pequeno almoço, fui até ao estacionamento fazer o desenho para o tributo ao Florian Afflerbach (ver AQUI). Escolhi o nosso carrinho, por ser também alemão e por estar em vésperas de nos deixar, depois de 4 anos de bons préstimos.


Antes de abalarmos para o almoço em Castelo de Vide, houve tempo de um reconfortante banho nas águas calmas da barragem de Póvoas e Meadas, enquadrada numa paisagem de luxo.


Fim de semana em Marvão e Beirã - 1 de 2

No fim de semana passado voltei a Marvão e Beirã, agora com a família (depois de lá ter estado com os Urban Sketchers Portugal AQUI e AQUI).
No sábado a praia fluvial da Portagem foi testada e aprovada! Mas só se for de manhã - porque à tarde ficou CHEIA de tugas e hermanos.


Ao almoço, foi altura de nos deliciarmos na esplanada do restaurante Sever, à beira do rio do mesmo nome. Enquanto esperava entretive-me com um exercício sem levantar a caneta (a cara das filhas é porque não havia wifi; melhorou quando a comida chegou...).


Depois da visita ao castelo de Marvão, terminámos a tarde na esplanada do "Natural Bar" do Centro Cultural de Marvão, com umas tostas maravilhosas, sumos naturais e uma cerveja alentejana, a Barona.


À noite, fomos até à aldeia vizinha de Santo António das Areias ver um festival de ranchos folclóricos. Sempre animado!



segunda-feira, 18 de julho de 2016

Homenagem a Florian Afflerbach

A organização do Simpósio Urban Sketcher em Manchester decidiu fazer uma homenagem ao sketcher alemão Florian Afflerbach, falecido em Maio passado num acidente de viação. Trata-se de constituir um mural com todos os desenhos dos sketchers, procurando reproduzir o  modo tão característico de representar os carros, uma paixão do Florian.

A 1 semana de também ir para Manchester, não quis faltar com o meu desenho para este tributo.
Escolhi o carrinho alemão que tanto gostei de conduzir nestes últimos 4 anos e que agora se vai.

sábado, 9 de julho de 2016

Monção nas Mãos (17º Encontro USk Norte) - 2º de 2

A tarde de sábado passado em Monção levou o 17º Encontro dos Urban Sketchers Norte até à Feira do Alvarinho.

Começámos por responder ao desafio duma artista local, Patrícia Oliveira: estendeu-se no chão um grande pedaço de papel cenário e todo o grupo espalhou-se em volta e desenhámo-nos uns aos outros.





(fotos do Nelson Azevedo)

A seguir, embrenhei-me por entre os alvarinhos, mas literalmente: acompanhei a apresentação de nove alvarinhos pelo João Afonso, da Revista de Vinhos. Desenhei e provei todos os 9! 
Muito reveladora a oportunidade de compararmos os diferentes perfis de vinho da mesma casta.


Terminei a assistir a alguns ranchos folclóricos do concelho de Monção.


No final, registámos a habitual foto de grupo antes do regresso ao Porto. Eu fiquei para o dia seguinte.
Ficou mesmo a vontade de voltar a encontrar este grupo super simpático. Será no Porto em Setembro!



No domingo, antes de apanhar a camioneta, ainda consegui desenhar o rancho onde a minha sobrinha participa que ia actuar de seguida: o Rancho Estrelas do Vales.


sexta-feira, 8 de julho de 2016

Monção nas Mãos (17º Encontro USk Norte) - 1 de 2

No fim de semana passado fui a Monção. Era o primeiro evento de urban sketching na terra onde vive a minha irmã. Explicando: foi a estreia da iniciativa de Turismo Criativo "MONÇÃO nas MÃOS",criada pelo meu amigo Nelson Azevedo (que fez comigo o filme "Monção, tudo isto somos nós!), que dinamizou um conjunto de eventos paralelos à Feira do Alvarinho.
O Nelson desafiou os Urban Sketchers Norte a participar, que organizaram em Monção o seu 17º Encontro.  Foi um sábado bem passado, com a oportunidade de conhecer alguns dos sketchers do Porto e arredores.

De manhã ficámos pelo centro de Monção, com visita ao Museu do Alvarinho na Casa do Curro.






Depois do almoço, simpaticamente oferecido aos sketchers, rumámos à Feira do Alvarinho. Mas isso fica para o próximo post.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Audição da filha

Hoje foi o dia da audição da minha filha mais nova. Não se notará mas estou babado. Saiu-se mesmo bem! Até voltei a gostar do Bryan Adams...